ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Foto: André Krüger/Rádio Aliança.
Sobre pedido de cassação, Pacheco diz estar tranquilo
Prefeito eleito de Concórdia falou sobre esse assunto após a solenidade de diplomação.
Publicado 14/12/2016
 

Por Jocimar Soares

O prefeito eleito de Concórdia, Rogério Pacheco, do PSDB, se manifestou sobre o pedido de cassação do seu diploma eleitoral, bem como do vice Edilson Massocco, do PR, protocolado nesta semana pelo Ministério Público. O assunto foi abordado durante coletiva de imprensa, após o ato de diplomação dos candidatos eleitos nas eleições de 2016, nos municípios pertencentes à 9ª Zona Eleitoral, que aconteceu na tarde da quarta-feira, dia 14, no Fórum da Comarca de Concórdia.

Sobre o assunto, Pacheco diz estar tranquilo. Para ele "foi um fato isolado, já mencionado durante a campanha. O Ministério Público fez a parte dele". Completa que, se o MP tivesse convicção sobre essa denúncia teria pedido liminar para impedir a diplomação, o que não ocorreu. "Isso demonstra que o Ministério Público não tem convicção sobre esses encaminhamentos. Iremos nos manifestar e provar que eu e o Massocco não tivemos participação nisso", reitera.

Conforme já anunciado pela Rádio Aliança, Pacheco e Massocco, mais um grupo de pessoas, foram citadas em Inquérito Policial que apurou possível compra de votos durante o período eleitoral. Baseado nesse inquérito, o MP protocolou um pedido de cassação do diploma de Pacheco e Massocco, mais a inelegibilidade dos mesmos e a anulação das eleições municipais. Uma decisão nesse sentido será tomada em primeira instância somente no ano que vem.

Ainda sobre esse assunto, Pacheco reforça e pede para a sociedade ficar tranquila. "Não vejo problema e que isso não vai prejudicar os trabalhos no governo", finaliza.

COMENTE